CategoriasEntretenimentoTeatro

O que esperar de “Chaves – Um Tributo Musical”?

O espetáculo que homenageia o personagem está em cartaz em São Paulo

Os anos passam, as gerações mudam, mas o personagem Chaves segue encantando crianças e adultos. Dentro do seu barril ou aprontando pela vila, o “menino” com um grande coração não deixa de lado algumas estripulias. Pois elas chegaram ao teatro. Chaves – Um Tributo Musical faz uma homenagem ao personagem icônico criado pelo mexicano Roberto Gómez Bolaños, que morreu aos 85 anos em novembro de 2014.

Pois o espetáculo segue em cartaz no Teatro Opus, no Shopping Villa-Lobos, em São Paulo, até o dia 27 de outubro. As sessões acontecem sexta, às 21 horas; sábado, às 16 horas e 20 horas; e domingo, às 15 horas e 19 horas.

Aliás, participantes do Km de Vantagens, o maior programa de fidelidade do Brasil, têm desconto. Na troca por 200 Km, o ingresso sai 40% mais barato em qualquer setor.

CONFIRA TAMBÉM: Nova Linha Burger am/pm tem sabor triplamente irresistível

Chaves – Um Tributo Musical

Chaves – Um Tributo Musical tem a chancela do Grupo Chespirito e do SBT, emissora que exibe o seriado há 35 anos. Aliás, a montagem tem roteiro da diretora musical Fernanda Maia, além da direção geral de Zé Henrique de Paula.

História inédita

Pois o espetáculo apresenta uma história original, que começa de maneira singular, na chegada de Bolaños ao “céu dos palhaços”, após sua morte, em 2014. No local imaginário, Chespirito não utiliza as roupas características de um palhaço, muito menos o nariz vermelho. Dessa forma, sofre alguma resistência.

Por conta disso, surge a ideia de uma visita dos palhaços à vila famosa. Assim, eles podem observar, de perto, o legado de Chaves, Kiko, Chiquinha, Seu Madruga e companhia.

CONFIRA TAMBÉM: Shows para curtir com desconto em outubro

Elenco

No espetáculo, Chespirito é interpretado por Fabiano Augusto. Já o “Chavinho” está a cargo de Mateus Ribeiro. De um modo geral, o elenco tem sucesso na tarefa de trazer aos palcos a personalidade engraçada e um pouco melancólica do menino pobre e faminto, que mora em um barril, é adorado por uns e tratado com desdém por outros.

Aliás, as clássicas músicas do seriado estão no espetáculo, inclusive com a adaptação de “Que Bonita Vizinhança” – que, na TV, virou “Que Bonita Sua Roupa”, na dublagem para o português. Em 2h30 de espetáculo, a emoção está garantida.

Etiquetas
Ver mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Navegação off-line

Fechar