CategoriasMúsica

Assista ao show de Caetano Veloso e filhos com desconto

Espetáculo "Ofertório" acontece no Km de Vantagens Hall no Rio de Janeiro

Já faz 52 anos que os acordes fortes dos Beat Boys anunciavam a execução de Alegria, Alegria. Na voz, um dos maiores nomes da história da música brasileira: Caetano Veloso. Era uma apresentação histórica no Festival da TV Record de 1967. O tempo passou – e bem – para o músico, que agora divide o palco com os filhos em um espetáculo aclamado pelo público e pela crítica.

Pois os fãs cariocas do cantor e compositor terão um encontro com ele no próximo dia 30, a partir das 22 horas, no Km de Vantagens Hall do Rio de Janeiro. Afinal, o espetáculo Ofertório, junto de seus filhos Moreno, Zeca e Tom, encanta fãs antigos e novos da família Veloso.

Aliás, participantes do programa Km de Vantagens têm desconto especial para aproveitar o espetáculo. Com R$48 mais 300 Km, dá para obter um ingresso. Portanto, bora aproveitar?

O show de Caetano Veloso

O título do show – referência à música criada para a mãe, dona Canô, quando ela completou 90 anos – tem um toque todo especial. Aqui, uma mostra da importância do setlist é que ele foi escolhido diretamente por Moreno, Zeca e Tom. Canções como Reconvexo e Um canto de afoxé para o bloco do Ilê estão lá.

A carreira

Caetano Veloso
Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo

O baiano, nascido em 1942 em Santo Amaro da Purificação, desde jovem sonhava com a música. Depois que a família foi para o Rio de Janeiro, ele participou de vários programas de rádio famosos na época. Após regressar ao estado natal, ganhou um violão, onde começou a cantar ao lado da irmã, a não menos genial Maria Bethânia.

Já em 1967, o III Festival da Música Brasileira, da TV Record, tratou de popularizar Caetano. Seu Alegria, Alegria é entoado até hoje. Na ocasião, ficou em quarto lugar.

Apesar disso, a participação tornou Veloso um dos marcos do movimento cultural que surgia chamado Tropicalismo, que unia ritmos mais regionais com guitarras, algo incomum para a época. Aqui, também abraçara a causa nomes como Gilberto Gil, Gal Costa, Torquato Neto e Tom Zé.

No ano seguinte, o disco Tropicália – ou Panis Et Circensis era o manifesto em forma de música daquilo que o movimento pretendia. Junto com Os Mutantes, entoou É Proibido Proibir.

Mas tamanho desagravo teve consequência. Pois Caetano Veloso foi preso por suposto desacato ao Hino e à Bandeira Nacional. Com isso, acabou indo para o exílio em Londres. Nesse período, lançou discos como London, London. De volta ao Brasil, em 1971, fez show com Chico Buarque e passou a produzir discos de outros artistas.

Parcerias

Em 1976, ao lado de Gil, Bethânia e Gal, formou o grupo Doces Bárbaros, que criou um disco e fez shows Brasil afora. Aliás, os anos seguintes também foram profícuos para Caetano. Na década de 1980, ficou marcado o programa Chico & Caetano, na TV Globo, onde recebia músicos nacionais e do exterior para apresentações memoráveis.

Já na década de 1990, seu álbum Circulandô foi aclamado pela crítica, rendendo prêmios importantes, como o Sharp. Em 1997, lançou o livro Verdade Tropical, em um outro sucesso para Caetano, agora editorial. Nessa década, também foi responsável pela música Luz de Tieta, do filme baseado na obra de Jorge Amado.

Anos depois, fez um estrondoso sucesso com a música Sozinho, de Peninha, vendendo milhões de cópias do seu álbum ao vivo. Mas os anos se seguiram com novas aventuras musicais, com parcerias que o levaram também ao cinema, em trilhas como de Hable com Ella, filme do espanhol Pedro Almodóvar.

Nirvana

Aliás, ele também cantou uma versão própria de Come As You Are, do Nirvana. Pois são tantos sucessos. Mas uma coisa é certa: a música brasileira jamais seria a mesma sem Caetano, um gênio “superbacana”.

Etiquetas
Ver mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Navegação off-line

Fechar